A importância de trabalhar com Projetos Escolares na Educação Fundamental

April 25, 2017

Afinal, o que é um projeto? Segundo Machado (1997 p. 63) o projeto é “Como esboço, desenho, guia de imaginação ou semente da ação, um projeto significa sempre uma antecipação, uma referencia ao futuro”.

O trabalho com projetos cria oportunidades para o professor utilizar diferentes métodos, adequando-os à realidade da sala de aula e da sua turma. O projeto propicia a junção entre as áreas do conhecimento, contribuindo para que a aprendizagem seja significativa. É uma forma lúdica de ensinar.

 

O papel do professor como mediador no desenvolvimento do trabalho e suas contribuições a cada etapa do projeto é extremamente importante.

 

Sobre a mediação do professor, Nogueira afirma que “Se pretendemos que os alunos continuem sendo eternos aprendizes, precisamos instrumentalizá-los com procedimentos que coloquem à prova e desenvolvam sua capacidade de autonomia, e os projetos parecem também ser meios para isso”. (NOGUEIRA, 2008, p.53). Mas essa autonomia acontecerá a partir da mediação na qual o professor verificará a atuação do aluno, suas propostas, as ideias criadas, intervindo quando necessário, pois o professor também é um ser participativo e importante na elaboração do projeto que acontecerá de forma compartilhada em cada procedimento a ser executado, tornando o aluno um ser social que busca perspectivas futuras.

 

O papel do aluno dentro de um projeto escolar deve passar de passivo para ativo e construtor de seu conhecimento, sendo capaz de ir além do assunto proposto, uma vez que, se envolvendo ativamente, aprende melhor, pois está em contato direto com os objetos e meios, de forma lúdica. Os projetos devem ser construídos junto com os alunos para que possa verdadeiramente ser capaz de atender a realidade da escola e, assim, haver aprendizado significativo.

 

É necessário que professores adotem diferentes estratégias e planos que possam contribuir, de maneira significativa, para formação do aluno. É necessário que as atividades sejam lúdicas.  E o trabalho com projetos pode ser uma solução eficaz na busca por novas metodologias, principalmente se construído e pensando junto com os alunos, essa é uma maneira lúdica de desenvolver o aprendizado e torna-lo significativo. O trabalho com projetos, se bem elaborado, discutido e conduzido, pode envolver operações essenciais para aquisição do saber, gerando uma transformação qualitativa e quantitativa no desenvolvimento do aluno tanto na parte cognitiva quanto social. Para tanto, é necessário haver um propósito, o professor precisa estar ciente com o que vai trabalhar e, principalmente, que conceitos, procedimentos e atitudes pretende que o aluno desenvolva trabalhando com o projeto.

 

O trabalho com projetos envolve uma série de ações para se chegar a uma meta, o que exige tempo e dedicação.

 

Alguns projetos são elaborados de forma integral por uma equipe externa à escola nomeada por órgãos educacionais, tanto municipais quanto estaduais e chegam para o professor com o tema já definido, com ações predeterminadas, data para iniciar e para finalizar. Projetos impostos não impulsionam o aluno a caminhar rumo ao conhecimento.

Num projeto, através de momentos com atividades lúdicas, espera-se que o aluno desenvolva habilidades como: elaborar, refletir, selecionar, ampliar, melhorar a prática da escrita e da leitura, revisar, registrar, pesquisar, argumentar, saber respeitar a opinião dos colegas, trabalhar de forma cooperativa, desenvolver a autonomia e a responsabilidade. Já o professor deve agir como mediador, auxiliar, criar situações desafiadoras, intervir quando necessário e, essas habilidades são desenvolvidas no andamento do projeto. Segundo Hernandez (1998), “o tema do projeto pode surgir com base nas ações e atitudes apresentadas pelos alunos e o professor, atento às manifestações dos alunos, conseguirá identificar o problema e sugerir um projeto”. Essa autonomia de ambos melhora consideravelmente o desenvolvimento da aprendizagem na Educação Fundamental.

De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN), “A autonomia refere-se à capacidade de posicionar-se, elaborar projetos pessoais e participar enunciativa e cooperativamente de projetos coletivos, ter discernimento, organizar-se em função de metas eleitas, governar-se, participar de gestão de ações coletivas, estabelecer critérios e eleger princípios éticos etc”. (BRASIL, 2001, p. 94).

 

É de extrema importância que o professor crie situações para que o aluno possa trabalhar de forma independente, construindo sua aprendizagem de maneira significativa. Para Cunha (1989), professor e aluno, juntos, criam um vínculo que permite que a aprendizagem aconteça a partir das trocas de ideias, das propostas que surgem, da mediação a cada etapa e evolução do aluno, possibilitando que o conhecimento circule.

 

O projeto, quando bem desenvolvido, oferece melhores perspectivas para o aluno enfrentar as várias situações problemas com que venha se deparar no seu cotidiano, pois o conhecimento acontece com as trocas, assimilações e elaborações, tornando o aluno um ser ativo a caminho da construção do conhecimento, abrindo possibilidades de aprender e formar habilidades aliadas à cidadania.

 

Referencias:

BRASIL. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Introdução. MEC / SEF – 3 ed. Brasília: A Secretaria, 2001.

CUNHA, Maria Isabel da.O bom professor e sua prática.Campinas, SP: Papirus, 1989.

HERNÁNDEZ, Fernando; VENTURA, Montserrat. A organização do currículo por projetos de trabalho. Porto Alegre: Editora Artmed, 1998.

______.Transgressão e mudança na educação. Porto Alegre: Editora Artmed, 1998.

MACHADO, N.J. Educação: projetos e valores. São Paulo: EscritutasEditora, 2000.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Em Destaque

Criando hábitos de leitura nos alunos.

February 16, 2018

1/7
Please reload

Recentes

February 19, 2020

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags